fbpx

Como a produção de plástico se reinventou para ser aliada da preservação ambiental

Compartilhar em whatsapp
Compartilhar em facebook
Compartilhar em twitter
Compartilhar em linkedin
Compartilhar em email
Empresas como a Plasvale, com 45 anos de atuação no mercado de

Como a produção de plástico se reinventou para ser aliada da preservação ambiental

Ao longo dos anos, muitas vezes o plástico foi visto como vilão quando se fala em preservação do meio ambiente. Mas você sabia que é possível encontrar opções que não oferecem malefícios para o planeta? Isso se deve a uma preocupação industrial, principalmente no Brasil, onde os avanços tecnológicos e científicos se uniram ao aumento de informação e conscientização. Hoje é possível encontrar opções que possibilitam o reuso e são 100% recicláveis. São alternativas para amenizar os danos que o plástico descartável promove.

Empresas como a Plasvale, com 45 anos de atuação no mercado de plásticos em utensílios para a casa, comprovam a importância da pesquisa e do investimento para seguir crescendo. A empresa que começou com confecção de baldes, hoje tem um portfólio de mais de 800 produtos, e além de explorar outros materiais como vidro e inox, aposta em alternativas em seu processo produtivo visando reduzir os impactos ambientais. “Temos ações e projetos que estão ligadas ao modelo de economia circular, para que possamos reutilizar sobras, rebarbas e até itens que foram descartados para a produção de novas peças que atendam a expectativa de serem sustentáveis”, ressalta Samanta Junges, gerente de marketing da Plasvale.

Como a produção de plástico se reinventou para ser aliada da preservação ambiental

Como a produção de plástico se reinventou para ser aliada da preservação ambiental

            Atualmente, a Plasvale chega a produzir mais de 500 toneladas em itens de plástico mensalmente. Entre as medidas que ajudam a minimizar os impactos causados no meio ambiente, a empresa apresenta todos os produtos como reutilizáveis, 100% recicláveis e, por isso, mais duráveis. Na fabricação, nenhum processo tem envolvimento com emissão de gases, sendo assim, não são lançados materiais tóxicos na atmosfera. Já na linha de produção, não há o lançamento de nenhum tipo de resíduo tóxico no solo. A empresa conta com pisos impermeabilizantes que facilitam a limpeza e o descarte correto do material, não comprometendo o lençol freático.

“Possuímos uma licença ambiental de operação, que afirma que estamos aptos para a operação e não degradamos o meio ambiente. Em todo o processo produtivo seguimos os parâmetros exigidos pelo IBAMA e IMA. Em nossa produção buscamos diminuir ao máximo os desperdícios, sejam eles: excessos como rebarbas, peças com defeito de fabricação, devoluções por motivos de funcionalidade ou produtos que já não estão mais aptos ao uso. Todos eles são processados novamente e reutilizados como parte da matéria-prima da Linha Plasvale Eco, que também possui resíduos retirados das praias em uma parceria com a ONG Eco Local”, explica a gerente de marketing da Plasvale.

Como a produção de plástico se reinventou para ser aliada da preservação ambiental

O plástico e a saúde        

Outro fator que também sempre apresentou receio por parte dos consumidores foi melhorado a partir da tecnologia. Há muito tempo os itens da Plasvale são testados e livres de Bisfenol A (BPA Free). Sendo assim, suportam variações de temperatura e não liberam substâncias prejudiciais à saúde do consumidor. 

Como a produção de plástico se reinventou para ser aliada da preservação ambiental

  • Plasvale
  • Av. Frei Godofredo, 2349, Gaspar (SC)

Conteúdo enviado por Oficina das Palavras – Inteligência em Comunicação e Conteúdo (ODP Comunicação LTDA Me, CNPJ 16.757.842/0001-22). Se deseja não receber mais mensagens como esta, clique aqui e informe “retirar da lista de contatos”.

Deixe seu comentário

Cadastre seu e-mail para receber notícias

A Oficina das Palavras utiliza cookies. Eles são usados para aprimorar a sua experiência. Consulte nossa página de política de privacidade para saber mais.