fbpx

Construção atrai melhorias para a economia de cidades como Balneário Camboriú

O setor imobiliário representa 60% do crescimento da atividade

BALNEÁRIO CAMBORIÚ (SC) – A construção tem comemorado importantes vitórias, que fortalecem a economia nacional. O setor apresentou, por exemplo, um acréscimo no número de profissionais com carteira assinada, ao passo que houve significativa redução no percentual de trabalhadores que atuavam até então na informalidade. O Produto Interno Bruto (PIB) da construção civil bateu recorde em 2010, cresceu 11% na comparação com 2009. A construção civil imobiliária responde por 60% deste crescimento. E o setor deve abocanhar 70% até o final deste ano. Os números são importantes, principalmente porque essa atividade atrai o chamado dinheiro novo para cidades como as do litoral catarinense.
           Somente em Balneário Camboriú – município onde a atividade é a mais forte em Santa Catarina e cuja valorização do metro quadrado é maior, inclusive, do que o de capitais como São Paulo e Rio de Janeiro – estão sendo construídas atualmente 146 obras de edifícios residenciais. Há ainda 73 terrenos com tapume, que indicam que em breve o local receberá algum empreendimento. Em 2010, a atividade no balneário cresceu 30%, em comparação com 2009, e a previsão para 2011 é que continue no mesmo patamar. O setor movimenta cerca de R$ 1 bilhão ao ano, e já representa 40% do PIB municipal, segundo levantamento do Sinduscon local.
          A pesquisa aponta que a maioria das empresas responsáveis pelas grandes construções está estabelecida entre um e cinco anos na cidade (51,28%). Atrás vêm aquelas que atuam entre seis e 10 anos (18,42%) e depois as que estão no mercado acima de 20 anos (14,15%). Vale destacar, ainda, que há empresas cujo potencial de atuação futura ultrapassa os próximos 20 anos, consolidando a atividade por pelo menos duas décadas.
         Ganha a economia local, que recebe dinheiro de fora, de gente que busca um destino aprazível para viver ou passar férias. Ganha também a comunidade em geral, já que o público consumidor das atuais obras é mais exigente pela qualidade de vida. Busca bem-estar, segurança, infraestrutura adequada. “A cidade como um todo ganha, até porque há um nível de exigência maior para aporte de dinheiro público em questões como saúde e educação”, comenta o presidente da entidade, Carlos Haacke.
         Outra percepção é que a verticalização dá visibilidade externa e, por isso, conquista-se novos empreendedores para investir em empresas na região, contribuindo para a abertura de novas vagas de emprego. “O crescimento da construção civil em Balneário Camboriú contribui efetivamente no seu desenvolvimento urbanístico, pois transforma a fachada da cidade com modernos projetos arquitetônicos e exige do poder público ações diretas de infraestrutura”, diz o diretor comercial da FG Empreendimentos, José Antônio Roncáglio.  
 
Infraestrutura já é de cidade cosmopolita

          Balneário Camboriú é reconhecida por sua característica cosmopolita, onde pessoas de diferentes perfis convivem harmoniosamente entre si. Com shoppings centers, universidades e ruas comerciais com funcionamento constante, o município se tornou a Meca da construção. O valor do metro quadrado médio é de R$ 5.710, podendo chegar a R$ 8 mil em locais como a Avenida Atlântica.
          Do total de 146 edifícios em construção, boa parte teve o início das obras em 2010: 40,72%. E o percentual de entrega maior está previsto já para 2012 (39,86%). Nesse momento, são mais de quatro mil trabalhadores formais que trabalham para edificar 4,9 mil apartamentos em Balneário Camboriú. Dados da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) indicam que a indústria da construção emprega 80 mil trabalhadores em seus nove mil estabelecimentos formais em todo o Estado. Somente em 2010 foram gerados 10 mil novos postos de trabalho no setor.

Outros dados da pesquisa do Sinduscon
Metragem total dos edifícios em construção     
1.346.926,99 m²       

Média do número de andares (no Centro)
22,02 andares

Deixe seu comentário

Cadastre seu e-mail para receber notícias

A Oficina das Palavras utiliza cookies. Eles são usados para aprimorar a sua experiência. Consulte nossa página de política de privacidade para saber mais.