fbpx

Mafra à Mesa chega aos últimos dias

Circuito Gastronômico Mafra à Mesa divulga

Mafra à Mesa chega aos últimos dias. Festival chancelado com o Selo Origem SC conta com metodologia do Sebrae que valoriza a utilização produtos locais e traz sustentabilidade aos negócios mesmo após o fim do evento

Na última semana do festival Mafra à Mesa, uma importante constatação: os estabelecimentos celebram o resultado do primeiro evento do gênero realizado na cidade do Planalto Norte Catarinense. Para chegar onde chegaram nesta estreia, os participantes fizeram valer o selo “Origem SC”, conferido aos festivais que desenvolvem seus pratos a partir da utilização de ingredientes locais e produtos com indicação geográfica de Santa Catarina. A metodologia utilizada pelo Sebrae, para preparar os empreendimentos participantes, enfatiza a importância da produção e consumo local e sustentável de alimentos.

A entidade oferece diversos recursos, programas e oficinas para ajudar empreendedores do setor alimentício a desenvolverem seus negócios desde a origem do produto até o consumidor final. Ao concentrar-se em toda a cadeia de abastecimento, desde a produção até à mesa, o Sebrae pretende promover o desenvolvimento econômico, a criação de empregos e a sustentabilidade geral no setor alimentar.

“Incentivar o uso de ingredientes locais é um dos pontos. Com insumos da própria cidade ou região, depõe-se a favor da tradição, faz-se o resgate da cultura e da história, aprimora-se a gastronomia e há reflexos diretos na economia local”, afirma o gerente do Sebrae Regional Norte, Jaime A. Dias Júnior.

Mas por que festivais como o Mafra à Mesa têm dado tão certo em Santa Catarina? Porque o incentivo prevê o foco na sustentabilidade dos empreendimentos mesmo depois do fim do evento. Os empreendedores aprendem a gerir seus negócios, têm oficinas e workshops de criação gastronômica com chefs especializados, aprendem sobre segurança alimentar, sobre precificação de pratos e levam isso para a vida profissional. “É muito interessante ver o andamento dos estabelecimentos que participam por um dos festivais nas várias cidades catarinenses. Além de quererem participar de novas edições, eles conseguem uma permanência muito saudável no mercado, com eficiência e lucro”, destaca Jaime.

Mafra à Mesa chega aos últimos dias

“Esta estreia foi surpreendente e muito positiva. Com esse novo olhar, certamente faremos novas edições e outros estabelecimentos devem participar, ampliando as possibilidades para os moradores e visitantes que visitam os locais durante o festival”, complementa João Lázaro Lelis Ferreira, Secretário de Governo, Desenvolvimento Econômico, Turismo e Cidadania.
            “O Circuito Gastronômico Mafra à Mesa destacou o município, que agora também faz parte da rota gastronômica do Estado. Estamos extremamente felizes em poder compartilhar a cultura e tradições mafrenses com nossos conterrâneos e visitantes da cidade”, comenta Emerson Maas, prefeito de Mafra. Quem ainda quer conhecer um pouco do Mafra à Mesa tem até domingo (24/9) para isso. Até lá, 10 estabelecimentos da cidade estão servindo menus criados exclusivamente para o evento, contendo ingredientes locais.

Veja os estabelecimentos participantes

  • Casa de Renate Café e Bistrô
  • Estância Lima
  • Karaoke Bar
  • Pesqueiro Hennig
  • Restaurante Céu e Sabor
  • Restaurante Susin
  • Restaurante Willner (Álamos)
  • Rotelle Massas Rápidas
  • Sonnemblumen Chalet
  • Zaz Pizzas e Massas Finas

Serviço

  • O quê: Festival Mafra à Mesa
  • Quando: de 6 a 24 de setembro
  • Onde: em 10 estabelecimentos participantes
  • Valor: menus de R$ 15 a R$ 49

Conteúdo enviado por Oficina das Palavras – Comunicação para Negócios (ODP Comunicação LTDA Me, CNPJ 16.757.842/0001-22). Se deseja não receber mais mensagens como esta, clique aqui e informe “retirar da lista de contatos”.

Deixe seu comentário

Cadastre seu e-mail para receber notícias

A Oficina das Palavras utiliza cookies. Eles são usados para aprimorar a sua experiência. Consulte nossa página de política de privacidade para saber mais.