fbpx

Projeto em Ibirama faz cair de 70% para 7% índices de anemia ferropriva em crianças

Doença é considerada um problema de saúde pública para Organização Mundial de Saúde
 
IBIRAMA (SC) – Na época das vovós um bebê mais gordinho era considerado saudável. Mas já se sabe que bochechas grandes podem não ser sinônimos de saúde. Existem crianças que comem muito. Só que não os alimentos corretos e necessários para o desenvolvimento. É o que mostra o projeto Fome Oculta. A iniciativa tem como objetivo detectar e prevenir a anemia ferropriva em crianças de 0 a 24 meses dos seis centros educacionais infantis (CEIs) de Ibirama, no Alto Vale do Itajaí. Com a coordenação do pediatra Ronaldo Libório Magalhães e apoio das secretarias de Saúde e Educação do município, o trabalho conseguiu derrubar o índice de meninos e meninas que sofriam com a falta de ferro no organismo de 70% em 2003 para apenas 7% em 2011.
            A queda na incidência de anemia ferropriva foi conquistada não só com trabalho clínico. “A educação com palestras para pais, professores e funcionários das creches e também as mudanças no cardápio escolar e hábitos alimentares dentro e fora das instituições foram fundamentais para alcançar estes resultados”, analisa o pediatra. Neste ano mais uma novidade foi implantada para seguir controlando estes dados.
            O exame que fazia parte do projeto agora é um fator admissional nos CEIs de Ibirama. Quando a criança de 0 a 24 meses é matriculada, ela é submetida a um exame de avaliação. Um hemograma completo e dosagem de ferro no sangue possibilitam mensurar as taxas de anemia. Tudo é estatisticamente analisado pelo médico e uma equipe especializada.
            A anemia ferropriva é considerada um problema de saúde pública pela Organização Mundial de Saúde. A doença é desenvolvida lentamente e pode passar despercebida. Os sintomas principais são palidez, fraqueza e fadiga. Em estado mais avançado pode provocar dores de cabeça latejantes semelhantes às de uma enxaqueca. Ela afeta o crescimento e o desenvolvimento físico e mental das crianças. Como provoca a incapacidade de fixar a atenção e diminui a acuidade mental, a anemia ferropriva compromete o rendimento escolar. A prefeitura pretende continuar incentivando o trabalho para evitar a doença. “Este projeto é uma ação integrada entre saúde e educação e merece investimentos porque traz benefícios concretos e projeta um futuro de mais qualidade de vida para a população”, comenta o prefeito de Ibirama, Duílio Gehrke.
 
Prefeitura de Ibirama
www.ibirama.sc.gov.br
Rua Doutor Getúlio Vargas, nº 70 – Centro
Telefone: (47) 3357- 8501

Oficina das palavras Assessoria de Imprensa, Blumenau, SC

Prog  Combate a Anemia Ferropriva (9).JPG

Deixe seu comentário

Cadastre seu e-mail para receber notícias

A Oficina das Palavras utiliza cookies. Eles são usados para aprimorar a sua experiência. Consulte nossa página de política de privacidade para saber mais.