fbpx

Projeto Fome Oculta em Ibirama faz zerar casos de anemia ferropriva em crianças

A iniciativa une educação, saúde e criatividade para acabar com a doença e pode servir como exemplo para outros municípios brasileiros
 
IBIRAMA (SC) – A anemia ferropriva é considerada um problema de saúde pública pela Organização Mundial de Saúde. Atingia 70% das crianças de 0 a 2 anos matriculadas nos centros de educação infantil na cidade de Ibirama, no interior de Santa Catarina. Um projeto, iniciado em 2003, fez zerar o número de casos. Os dados foram confirmados nesta semana. O projeto, coordenado pelo pediatra Ronaldo Libório Magalhães e batizado de Fome Oculta, conquistou essa vitória não só através de tratamentos clínicos, com doses de ferro em gotinhas para os bebês que necessitam de tratamento. O foco principal é a educação com palestras (para pais, professores e funcionários das creches) e uma alteração no cardápio escolar e no hábito alimentar.
          “O leite integral de caixinha foi trocado pelo leite maternizado e a alimentação foi adaptada de acordo com as diferentes faixas etárias. Todo o cardápio foi elaborado com alimentos ricos em ferro, como a carne vermelha e os vegetais”, conta o pediatra. A criatividade também está presente na iniciativa. São servidos pratos que agradam o paladar das crianças, com alimentos que normalmente elas não aceitariam, como fígado de boi, por exemplo.
          Os dados são coletados por exames admissionais nos CEIs de Ibirama. “Quando a criança de 0 a 24 meses é matriculada, ela é submetida a um exame de avaliação. Um hemograma completo e dosagem de ferro no sangue possibilitam mensurar as taxas de anemia. Tudo é estatisticamente analisado pelo médico e uma equipe especializada”, explica Magalhães.
           A anemia ferropriva é uma doença desenvolvida lentamente e pode passar despercebida. Caracteriza-se pela diminuição ou ausência das reservas de ferro no organismo. Segundo a Organização Mundial de Saúde, quando a taxa de hemoglobina no sangue está menor de 11g/dl a pessoa está com anemia. A doença predomina  nos dois primeiros anos de vida e apresenta prevalências elevadas em populações saudáveis e com baixo índice de desnutrição. Por isso é conhecida como “Fome Oculta”. Existem crianças que comem muito, mas não os alimentos corretos e necessários para o desenvolvimento.
          Os sintomas principais são palidez, fraqueza e fadiga. Em estado mais avançado pode provocar dores de cabeça latejantes semelhantes às de uma enxaqueca. Ela afeta o crescimento e o desenvolvimento físico e mental das crianças. Como provoca a incapacidade de fixar a atenção e diminui a acuidade mental, a anemia ferropriva compromete o rendimento escolar.
          “Existe um acompanhamento contínuo. Por isso esperamos manter os bons resultados do projeto daqui pra frente”, fala o especialista. “Estamos orgulhosos e felizes porque isso significa mais saúde para a comunidade. Aliás, Ibirama pode servir de exemplo para muitas cidades do país”, completa o prefeito, Duílio Gehrke.

Prefeitura de Ibirama
www.ibirama.sc.gov.br
Rua Doutor Getúlio Vargas, nº 70 – Centro
Telefone: (47) 3357- 8501

 

Oficina das palavras Assessoria de Imprensa, Blumenau, SC

Deixe seu comentário

Cadastre seu e-mail para receber notícias

A Oficina das Palavras utiliza cookies. Eles são usados para aprimorar a sua experiência. Consulte nossa página de política de privacidade para saber mais.