fbpx

Professores desenvolvem técnicas para garantir a inclusão de alunos com deficiência no ensino superior

Compartilhar em whatsapp
Compartilhar em facebook
Compartilhar em twitter
Compartilhar em linkedin
Compartilhar em email
Professores desenvolvem técnicas para garantir a inclusão de alunos com deficiência no ensino superior

Materiais elaborados pelos próprios educadores e personalizados às necessidades de cada estudante, aliados a sistemas de tecnologia e plataformas de estudo, facilitam o aprendizado dos acadêmicos da UniAvan. Professores desenvolvem técnicas para garantir a inclusão de alunos com deficiência no ensino superior

Com apenas o toque das mãos em um material alto-relevo, Isadora Mafra, de 20 anos, passou a entender um gráfico aplicado na aula do curso de Psicologia. A acadêmica, que é deficiente visual, conta que mesmo com as descrições e os recursos aplicados, o conteúdo parecia abstrato. “Só depois que a professora criou o gráfico, eu consegui entender tudo”, explica. Produzido com cola relevo, barbante e escritas em braile, o gráfico foi personalizado em sala de aula pela professora auxiliar Jessica Bessa.

“O que importa é darmos acesso aos conteúdos. Quando entregamos materiais, literatura, entre outros recursos, permitimos que os alunos tenham um aprendizado de qualidade, independentemente se tiverem alguma deficiência”, conta a educadora. O material alto-relevo é apenas uma das técnicas desenvolvidas pela equipe do Núcleo de Acessibilidade e Inclusão (Naia) da UniAvan, que há seis anos foca no apoio em formações continuadas, orientações, ações de experiência prática para a comunidade acadêmica, palestras e eventos, como a 1º Semana de Acessibilidade e Inclusão: diálogos sobre acessibilidade e inclusão, realizado em agosto desse ano.

Especialista na área, o psicólogo e coordenador do núcleo, Ezequiel Leopoldo da Silva, explica que, para garantir a inclusão assertiva durante o processo de educação, é necessário que os profissionais da área fiquem atentos às necessidades de cada aluno e desenvolvam estratégias personalizadas, que podem ir desde uma simples orientação e acompanhamento, até a elaboração de materiais adaptados, chamada de acessibilidade metodológica. “É necessário demonstrar para as pessoas que elas nem sempre precisamos utilizar ferramentas para promover a inclusão. Ações educativas de conscientização e acessibilidade atitudinal sempre vêm em primeiro lugar”.

Professores desenvolvem técnicas para garantir a inclusão de alunos com deficiência no ensino superior

Professores desenvolvem técnicas para garantir a inclusão de alunos com deficiência no ensino superior

Para apoiar as estratégias personalizadas e criativas de inclusão no ensino superior, os 14 alunos que integram o núcleo da UniAvan contam com alguns recursos adicionais, como o sistema de leitor de tela na plataforma de estudos Blackboard, ferramentas para conversão de textos em áudio, braile ou Libras, impressão para ampliação de textos, teclados em braile, notebook para suporte acadêmico, biblioteca virtual com áudio descrição, entre outros. “Os docentes do curso sempre buscam materiais em formato PDF para disponibilização, pois esse conteúdo é mais facilmente lido por sistemas de tecnologia de leitura de tela”, acrescenta o coordenador do Naia.

Ao todo, o núcleo da UniAvan conta com 12 profissionais, entre educadores, tradutores intérpretes da Língua Brasileira de Sinais, equipe técnica e administrativa. Como forma de garantir plena inclusão, o centro universitário conta com piso tátil, elevador, rampa, placas de direção e identificação das salas em braile, oferta de cadeira de rodas, áreas de fácil e livre locomoção com adaptações, entre outros. “Mais do que oferecer educação inclusiva, é necessário que não existam as barreiras atitudinais, estruturais, metodológicas ou programáticas e a garantia que todos tenham acesso ao serviço”, explica o educador.

Para acadêmicos como Isadora, esse acolhimento se torna mais do que essencial para garantir a inclusão na educação de todas as formas. “O acesso às aulas faz com que ainda mais pessoas estejam inseridas nesse meio, e isso pode ser transformador não somente para outros alunos, mas para a comunidade em geral”, finaliza a estudante.

Mais imagens para download: https://drive.google.com/drive/folders/1yj-PSxHqUC6Yjo939I-qhHBl-gylo8sw?usp=sharing

Créditos: UniAvan

UniAvan

Conteúdo enviado por Oficina das Palavras – Inteligência em Comunicação e Conteúdo (ODP Comunicação LTDA Me, CNPJ 16.757.842/0001-22). Se deseja não receber mais mensagens como esta, clique aqui e informe “retirar da lista de contatos”.

Professores desenvolvem técnicas para garantir a inclusão de alunos com deficiência no ensino superior

Deixe seu comentário

Cadastre seu e-mail para receber notícias

A Oficina das Palavras utiliza cookies. Eles são usados para aprimorar a sua experiência. Consulte nossa página de política de privacidade para saber mais.