French Canadá (parte 2). Montreal rocks

French Canadá (parte 2). Montreal rocks

Meu final de semana incluiu Montreal. Segunda cidade mais populosa do Canadá, tem ar cosmopolita, mas resguarda a arquitetura secular. A catedral Notre-Dame-de-Montreal  é tão bela e imponente que me arrancou as primeiras lágrimas aqui no Canadá. Sim, chorei ao entrar lá. Foi o choque de algo tão belo, espetacular.
Fora isso, havia em frente à catedral um evento de uma ONG que alimenta os pobres. Era uma festa religiosa que celebrava com a comunidade o sucesso dessa ação. A interação foi tamanha que acabei conversando com os voluntários e participando da confraternização ganhando comidinhas bem caseiras. Eu me senti acolhida!
Depois, uma respirada com a melhor vista do Parc Mont-Royal. À noite, a dica é caminhar muito e se permitir uma passadinha no cassino. O prédio fica na Ile-Notre-Dame em posição de destaque e a iluminação é incrível.
Ah, ir ao cassino foi demais. Primeiro porque fiz isso no tempo livre, ou seja, foi uma aventura à parte acertar o meio de locomoção ideal. Segundo, porque o ambiente transporta para aqueles filmes de Hollywood, no clima Las Vegas.
Na volta para o hotel, acabei passando pelo prédio Biosphere, com uma iluminação linda! Uma dica bacana, para chegar ao cassino basta pegar o metrô até a estação Berri-uqam (é assim mesmo) e lá tem um ônibus exclusivo para translado ao cassino. Fica do lado da Biosphere. 
Falando nisso, tudo em Montreal é seguro e tranqüilo. Andei muito e não tive problemas de localização (e olha que me perco até em Pomerode, cidade vizinha a Blumenau, em Santa Catarina). Mas claro que a viagem foi incrível porque tive as melhores companheiras do mundo. No próximo post vou falar da Daniela, de Belo Horizonte, e da Allane, de Fortaleza.
Rapidinho, hoje completo uma semana no Canadá. Você tem alguma duvida do quão feliz eu estou?

Nenhum comentário

Desculpe, os comentário estão temporariamente desativados.

Top