Yoga e conexão espiritual em Rishikesh, na Índia

Yoga e conexão espiritual em Rishikesh, na Índia

O que fazer em Rishikesh é a primeira pergunta que se faz. Mas sabe conexão com seu “eu” interior? Eu diria que tem yoga e conexão espiritual em Rishikesh, na Índia. Era este o objetivo da nossa ida a para a cidade que fica no Alto Himalaia e é considerada a terra onde surgiu o Yoga. Partimos da capital da Índia (Delhi) de avião num sábado, com a viagem durando cerca de duas horas. No mesmo dia estaria rolando um evento mundial de Yoga criada naquela região, com a presença de milhares de pessoas. Iogues do mundo inteiro reunidos para essa atuação energética e espiritual, além de muito aprendizado prático deste estilo de vida.

Fazia frio no final do Inverno, principalmente naquela localização em grande altitude. Ainda assim, dezenas de corajosos encaravam os rituais de purificação com mergulhos no Rio Ganges. A Rishikesh é a cidade indiana que possui diversas universidades, clubes e escolas de prática de yoga.  Na maioria delas é possível fazer aulas individuais que mesclam teoria e prática, com exercícios de flexibilidade, respiração, concentração e entendimento dos chacras.

Marcamos de fazer aula cedinho e meditação ao pôr do sol. Mas não me encontrei energeticamente e desisti de ambas, apesar da insistência da Thábata, minha amiga viajante, que completou a agenda com sucesso.

Aproveitei para curtir a cidade, circular entre os moradores, sentar em um café e ler um livro observando o Ganges vez ou outra.

Rishikesh

O que fazer em Rishikesh

  • Comer! Como tem muita faculdade/universidade de yoga e uma infinidade de gente dos quatro cantos do mundo, tem muito café/restaurante com cardápio internacional e SEM PIMENTA! Para quem não curte a comida mega condimentada, Rishkesh é o melhor lugar da Índia para se alimentar. Conheça os vários estabelecimentos às margens do Ganges, com uma incrível vista do rio sagrado.
  •  O Ashram dos Beatles é um museu a céu aberto, onde os visitantes conhecem os restos da construção do lugar que um dia recebeu os astros da música (isso lá em 1968). Vale para conhecer de perto as dezenas de cavernas de meditação e os prédios abandonados com suas lindas pinturas. Tem muito grafismo (e também pichação) pelas paredes e vale cada segundo lá dentro. Detalhe importante, a região logo depois do ashram é um parque onde vivem tigres e elefantes selvagens. Por recomendação dos seguranças, a orientação é não ultrapassar os muros do lugar.
  •  Um dos melhores locais para ver o pôr do sol na Índia é o Parmarth Niketan, às margens do Rio Ganges. Diariamente há uma cerimônia em homenagem ao astro-rei. O espaço fica lotado para acompanhar os rituais e orações.
  • Atividades aquáticas no Rio Ganges. Em Rishikesh, o Ganga (como eles chamam) está no início, ainda limpo e bem cuidado. Por aqui você vê vários indianos no ritual de purificação – apesar do frio de 10 graus e da água gelada – e ter experiências como raffting, circular de caiaque e até boiacross.

Curiosidades sobre Rishikesh

  • Os indianos amam os animais porque, para eles, os bichos são sagrados porque seriam a reencarnação dos deuses como Shiva. Não estranhe, portanto, se em algum restaurante você perceber um camundongo circulando. Apesar de os empreendimentos evitarem, já que são locais turísticos, pode acontecer.
  • O estado do qual Rishikesh faz parte é chamado de Uttarakhand. A cidade fica aos pés do Himalaia, bem na região Norte da Índia. É reconhecida internacionalmente como a Capital do Yoga do Mundo.
  • Por Rishikesh é possível ver de perto elefantes asiáticos e tigres de bengala. Diferentes empresas fazem safari de jipe pelo Parque Nacional Rajaji. Este é algo do que fazer em Rishikesh, na Índia.
  • Os antigos laços com a cultura hindu fazem de Rishikesh um dos mais famosos centros de peregrinação da Índia. Yoga e conexão espiritual em Rishikesh na Índia são comuns, mas além deles, são comuns os rituais nos templos. Segundo os moradores, a cidade do Alto Himalaia é a porta de entrada para as pessoas que visitam vários santuários sagrados.
  • Em indiano se escreve Hrishikesh, que é também um dos nomes do deu hindu Lord Vishnu. Existem várias lendas associadas ao local. Uma delas diz que o irmão do lorde Rama, Lakshman, atravessou o Rio Ganges através de cordas de juta onde fica hoje o Lakshman-Jhula. A coragem e ousadia correram os anos e por isso desde o século 8 foram construídos templos na região.

Porque visitar Rishikesh

  • Yoga e conexão espiritual em Rishikesh na Índia são dois itens indispensáveis e que você verá em todos os cantos da cidade.
  • Rishikesh é a mais fria das cidades da Índia, então prepare seu casaco. Mas, em contrapartida, faz muito calor no Verão. A variação da temperatura vai de 0 a 40 graus, dependendo da época. Não se esqueça que do final de julho a meados de setembro chove bastante. A melhor época é durante a primavera (meados de fevereiro a meados de maio) e a temporada de outono (meados de setembro a novembro).
  • Rishikesh tem um lugar especial na cultura hindu desde os tempos antigos e o lugar está associado a muitas lendas. Devido ao seu valor religioso, a vida cotidiana em Rishikesh é cheia de atividades piedosas, pois, por lei, a cidade serve apenas comida vegetariana. O álcool é proibido na cidade.
  • Com 110 mil habitantes, Rishikesh tem uma média de alfabetização de 86%, mais alta que a média nacional que é de 74%.

Fique ligado

  • Há mictórios em algumas cidades, mas os homens não fazem muita questão de usar e acabam fazendo xixi em qualquer canto, mesmo na lateral de uma porta de entrada de alguma loja, por exemplo.
  • A buzina é regra na Índia. Os caminhões possuem esta indicação na traseira para quem for fazer a ultrapassagem. E junto, no trânsito caótico, há a necessidade de apitar para uma vaca, para um tuktuk que chega na contramão…
Ricardo Ruas é e viajante que já rodou 38 países (e contando) pelo mundo.
Nenhum comentário

Comente!

Top